.

.

Transformadores

.

Post 10

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou formada em Música com especialização em canto. Mulher trans trabalhando e me alimentando do estudo da tecnologia. Por muitas vezes trabalhei com atendimento ao cliente e atuado bastante na área da comunicação e na área artística. Participei de vários projetos com a temática de Diversidade e Inclusão: #OracleForAll, Juntos2019, São Paulo Tech Week, Empodera, #AGORAVAI (TransEmpregos), Google, etc… Participação no StartUpWeekend LGBTI+ ganhando o prêmio no 3º lugar. Uma de minhas vontades é acelerar meus conhecimentos e aprendizados para criar uma junção entre a arte e a tecnologia. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? A resiliência se tornou uma aliada. Desde criança eu caminhava com ela e não sabia o que era. Às vezes me perguntam se sou resiliente e eu olho pra minha companheira e dou aquele risinho. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Ser uma pessoa trans é difícil. Lembro da época que eu falava que queria não ser. Queria não ser trans porque o mundo é tão complicado e viver é tão difícil. Hoje eu tenho orgulho da mulher que sou e o tanto que passei para chegar até aqui. Luto para viver o máximo que puder. E viver bem. Sei que no caminho ainda haverá muitos percalços. E somos fortes. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Caminhem sempre com a resiliência. Continuem sendo fortes. Avante! Para a sociedade, qual recado você deixaria? A sociedade ainda não sabe o que significa a palavra ‘RESPEITO’. Acho válido dar uma reciclada no modo de viver. Deixe a gente amar. LINKEDIN @drikapanambi #musica #juntosvamosvencer #areiamovediça #sing ♬ som original – Drika Panambi



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.