.

.

Transformadores

.

Post 127

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Professora de Geografia, especialista em Coordenação Pedagógica, servidora pública contratada e tutora EaD.  Sou licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia, formei em janeiro de 2000, e entrei no Estado na rede de educação básica através de designações no ano de 2000. Fui contratada até 2007, quando efetivei em dois cargos. Devido aos processos de assédio moral que vivi no ambiente escolar exonerei os cargos em 2016 pelo meu adoecimento psíquico. Sempre trabalhei dois cargos, um no ensino fundamental e outro no médio. Em 2017 fui chamada para um cargo de coordenadora na Prefeitura do meu município, com encerramento de contrato neste ano no dia 31/12. Desde o ano passado fui contratada para ser tutora EaD numa universidade privada na cidade. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? Os desafios ainda é a superação do preconceito e a discriminação, mesmo quando somos contratadas, temos que provar o tempo todo que somos habilitadas para determinada função, o que acaba desgastando e impactando no desenvolvimento profissional. O assédio moral ainda é muito grande em cima de nossa população. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Sim, com certeza, tive que provar o tempo todo, que eu era capacitada para tal trabalho. Sofri muito assédio moral por parte de gestores de escolas que passei, eu era muito cobrada, além do exigido. O ano que vem estou sem trabalho, e fico pensando nas dificuldades que vou ter que enfrentar para me inserir no mercado de trabalho, mesmo com tantas qualificações. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Que não podemos desistir, por mais difícil que seja a trajetória e que podemos ocupar diversos lugares na sociedade, além da rua. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Que proporcionem mais oportunidades de trabalho, educação, que possamos viver em um mundo livre de preconceito e discriminação. Que as nossas identidades de gênero sejam respeitadas, na educação e no mercado laboral. INSTAGRAM FACEBOOK



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.