.

.

Transformadores

.

Post 157

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou analista de costumer excellence no Nubank, vice-presidente e co-fundador da ABRAI – Associação Brasileira Intersexos. Trabalhei em muitas áreas, já tentei empreender e ter meu próprio negócio, já tentei desistir de tudo e viver do que a natureza me dá rsrs. Mas eu me encontrei no acolher pessoas, seja em fazer a experiência dos clientes a mais agradável possível ou em pensar em projetos para defender os direitos das pessoas intersexo. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? Reconhecimento sempre foi o maior desafio. Ter espaço para mostra que sou capaz de ir muito além do quadrado em que estou enquanto exerço a função pela qual fui contratado. Muitas vezes o contexto e minhas vivências enquanto pessoa intersexo e trans acabam influenciando nesse reconhecimento por parte de um líder direto. Minha maior conquista foi mostrar minha capacidade dentro da empresa em que trabalho atualmente através de ações e resultados e a fundação da ABRAI, que começou como uma ideia minha e de mais dois ativistas intersexo e hj, o que era apenas um coletivo, tem corpo jurídico. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Sim, por ser trans acabei encontrando algumas barreiras na minha trajetória, as mais impactantes foram: Em uma empresa que trabalhei por 2 anos e meio outras pessoas no ambiente de trabalho se mantinham distantes, inclusive minha líder, o que dificultava muito meu processo de desenvolvimento por não ter o apoio necessário ou estar integrado na equipe. Outra situação, ainda nessa mesma empresa, foi devido ao nome social não constar em todos os sistemas internos então as pessoas não conseguiam me enviar comunicados importantes por não me localizarem no sistema. Já em outro local de trabalho, não me escolhiam para apresentar meus próprios projetos aos nossos clientes por eu não estar “no perfil” esperado e talvez prejudicar o fechamento do negócio com o cliente, mesmo minha ideia sendo boa e meu projeto compatível com a proposta. Ficava claro pra mim que não me queriam na sala como o cliente por ser trans. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Insistam, persistam e lutem! Vocês são capazes e não deixem ninguém dizer que não são. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Somos pessoas assim como qualquer outra, temos personalidades e competências variadas, assim como qualquer outra pessoa. LINKEDIN



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.