.

.

Transformadores

.

Post 213

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou Desenvolvedora e Analista de dados. Na adolescência fui monja Hare Krishna por cerca de três anos, onde aprendi a cozinhar e tornei da cozinha meu sustento por muitos anos. Trabalhei em muitos restaurantes, com chefs conhecidos e passei alguns anos trabalhando em cruzeiros, juntando dinheiro. Cansada de ter que trocar sempre de emprego por conta da transfobia e péssimos salários, decidi ingressar na área da programação. Fiz um curso gratuito de programação da Reprograma, no espaço Estação Hack do Facebook. Me dediquei muito, fiz muitas entrevistas e estou fazem 5 meses na Idwall, uma empresa de tecnologia. Trabalho com dados, na área que amo e estou iniciando minha graduação em Estatística. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? A maior conquista sem dúvida foi a resistência de me manter de pé com a transfobia diária e o medo que enfrentei em todos os trabalhos que tive cozinhando. De saber que eu mereço ser feliz e viver livremente. Já tive um chef de cozinha que me disse que eu só teria duas opções na vida, ser cozinheira ou ser prostituta. Felizmente ele estava errado e infelizmente eu tive mais sorte que outras pessoas trans e travestis. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Ser uma pessoa trans é que nem jogar um jogo no level hard. As portas dificilmente estarão abertas para você e quando estiver aberta você não pode reclamar de transfobia, porque já te fizeram um “favor” de te darem um emprego que não seja a prostituição. (eu ouvi isso diversas vezes e tive que fingir gratidão) Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Estude e dedique-se na área que você ama! Isso é mais importante que qualquer cirurgia, roupa, maquiagem, viagens, namorades que você queira ter. Busque sua independência. Qualquer pessoas trans e tavesti que quiser entrar para a área da programação e análise de dados, podem entrar em contato comigo. Estou disposta a dar dicas e ajudar. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Coloque-se no lugar do outro. Ninguém precisa ser a pessoa mais desconstruída do planeta, basta se colocar no lugar do outro. É simples. Jesus vem tentando ensinar isso fazem anos e as pessoas ainda não entenderam, sobretudo quem se diz fiel a ele. INSTAGRAM LINKEDIN



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.