.

.

Transformadores

.

Post 215

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou UI Designer.  Comecei trabalhando com 18 anos, no mercado do telemarketing, por 3 vezes em 2 empresas diferentes, no começo eu acreditava que poderia crescer la dentro e começar minha carreira em tecnologia, e de fato é possível. Eu tinha acabado de sair de casa e minha visão de futuro era bem menor que a de hoje, depois de muito tempo tentando me reinserir no mercado de trabalho, consegui um emprego aos 22 anos em uma startup de tecnologia jurídica chamada Linte, lá conheci pessoas maravilhas e aprendi muita coisa. Também auto reafirmei o meu talento e hoje luto para conquistar o meu espaço começando o meu próprio negócio e estudando muito para um dia ser referência naquilo que faço.Estou totalmente disponível para produção de conteúdo para ajudarmos a comunidade, só me chamar! Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? Sempre foi muito difícil procurar emprego, já passei por “entrevistas” onde o entrevistador simplesmente rasgou o meu currículo na minha frente, outras me perguntavam o porque eu diminuía minhas chances me travestindo. Depois de um período de luta contra a depressão eu encontrei a Casa 1 onde a Linte entrou em contato buscando alguém para ingressar na carreira de tecnologia, eu era a única mulher trans interessada e que já tinha algum estudo, no caso curso técnico pela ETEC. Foi a minha maior conquista não só por ter um emprego, mas por todo o conhecimento e as pessoas que levo comigo hoje, além de poder ajudar outras com tudo isso. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Foi muito difícil passar por tudo isso, e a minha auto estima que já era baixa só piorou, por sorte, e eu sei que sou uma minoria gigantesca de mulheres trans que tem sorte, conheci pessoas que me ajudaram a passar por essa e continuar a lutar pelo meu sonho sabendo que um dia meu talento seria enxergado. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Nunca desistam, sei que soa clichê, mas a gente tem que lutar, estudar, enfrentar muitos maus tempos para um dia chegarmos lá, mas é possível, procura inspiração, faça networking em pessoas da sua área, se tiver pessoas trans ainda mais! Mas nunca desistam, se nos deixar abater pelo preconceito e o medo, não saímos do lugar. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Eu acredito que estamos melhorando muito de fato, mas é necessário nos atentar ao próximo, julgamento é algo natural do ser humano, mas eu acredito que todos devemos nos esforçar para lutar contra isso e ser uma pessoa melhor, tentar entender o lado ou ao menos a história, se estiver na dúvida de como tratar alguém, pergunte, se você é uma empresa e quer aumentar a diversidade mas não consegue candidatxs? Comece a se perguntar porque não tem candidatas? Será que as pessoas trans deixam as escolas muito antes de completar o ensino médio e não batem o requisito mais básico? Será que não é possível ajudá-las a voltar a estudar e lutar contra medo? Existem muitas pessoas talentosas por ai que são julgadas por pertencerem a alguma minoria, precisamos abrir os olhos. INSTAGRAM SITE



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.