.

.

Transformadores

.

Post 74

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou radialista e gestora de pessoas, formada em Gestão de Recursos Humanos.  Iniciei minha carreira como radialista em 2005, aos 23 anos na cidade de Campina Grande (PB) dando vida a personagem Lady Pompom, uma Drag Queen colorida, do povo e cheia de glamour. Integrei como atriz o elenco dos espetáculos teatrais “A vingança das domésticas”, “Caricatas de quinta” e “Escolinha para virgens”, lancei 2 DVDs “Simplesmente Pompom” e “Show da Pompom”, produzi, dirigi e apresentei os programas de rádio “Fuzuê” e “Show da Pompom” e fui apresentadora residente da boate Vogue até agosto de 2010. Em São Paulo (SP), me formei radialista em 2013 e gravei “O Tema” e “Cafofo da Reh”, 2 pilotos para WEB TV. Em paralelo, iniciei também minha carreira como gestora de pessoas e processos em 2011 e me formei em Gestão de Recursos Humanos em 2019. Mulher trans, paraibana, virginiana, apaixonada pela vida, radialista por formação, gestora de pessoas por paixão, amo café, vinho e chocolate amargo. Minha maior realização pessoal é saber que com a minha experiência posso fazer a diferença na vida de outras mulheres compartilhando conhecimentos! Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? O maior desafio é a provação de cada dia no qual tive que provar minha competência acima da minha identidade de gênero. Como conquista, minha história e a diferença que pude fazer na vida de outras mulheres trans ao longo da vida é a mais significativa e recompensadora. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Foi dificultador em alguns momentos, em várias entrevistas fui olhada de canto de olho com julgamentos e muitas vezes risadinhas de canto, mas em nenhum momento me deixei abater e segui buscando uma oportunidade e uma empresa que me merecesse como colaboradora, pois uma empresa que desdenha alguém por preconceito não merece ter profissionais trans excelentes. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Parece clichê, mas nunca desistam dos seus sonhos e objetivos. Estudem, se capacitem cada vez mais e sejam vocês mesmas. Agradeçam todos os dias as oportunidades que aparecerem, pois a gratidão é a força que move o universo. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Não julguem, apenas respeitem. INSTAGRAM FACEBOOK LINKEDIN



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.