.

.

Pesquisa

.

1 a cada 2 empreendedores ainda abre negócio por necessidade

.

pesq.jpg

.

Postado:

Fonte:

05/04/22

G1

.

O empreendedorismo ainda é marcado pelo investimento por necessidade e falta de outras oportunidades no mercado de trabalho. A pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2021 mostra que 48,9% dos novos negócios no país são abertos ou mantidos com essa motivação.

 

A GEM é uma sondagem feita em 50 países e coordenada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no Brasil. O país participa da pesquisa desde 2002.

Ainda alto, o número de empreendedores por necessidade teve uma leve queda em relação a 2020 (50,4%). Segundo o Sebrae, esse é um indicativo de melhora do mercado de trabalho, com a maior flexibilização da economia depois da campanha de vacinação contra a Covid-19.

 

A taxa de desemprego no Brasil, apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou no 11,2% no trimestre encerrado em janeiro. Ainda são 12 milhões de brasileiros afetados, mas esse número já chegou a quase 15 milhões nas fases mais duras da pandemia.

Segundo o Sebrae, a taxa de empreendedorismo por necessidade é composta por "empreendedores nascentes" (aqueles que pensam em abrir um negócio ou já o fizeram em até três meses), e pelos "novos empreendedores" (que possuem um negócio entre três meses e 3,5 anos). Isso exclui, portanto, negócios mais maduros e que podem ter sido abertos com essa motivação.

 

Escolaridade mais alta

 

A pesquisa também detectou que a escolaridade do empreendedor brasileiro está mais alta. São 28,5% dos empreendedores que têm ensino superior completo. É o maior número desde 2013.

 

São mais de 4 pontos percentuais de avanço em relação a 2020 (24,4%). Para o Sebrae, um grau de escolaridade mais avançado permite uma maior saúde de gestão e melhor chance de desenvolvimento das pequenas e médias empresas brasileiras.

 

Atualmente, ainda domina o ensino médio completo entre os empreendedores. São 47,1% do universo pesquisado.

 

Mais negócios estabelecidos

 

Outro destaque da pesquisa GEM 2021 é que o percentual de negócios estabelecidos também cresceu de 8,7% em 2020 para 9,9% em 2021. Esse grupo é de empresas com 3 anos e meio ou mais.

 

Também subiu o empreendedorismo nascente, categoria que representa os primeiros passos no setor e chegou a 10,2% dos negócios. Por outro lado, houve queda no empreendedorismo inicial e novo.

 

A interpretação do Sebrae é que boa parte dos negócios mais antigos sobreviveu bem à pandemia e o fluxo de novos empreendedores continua a chegar. Mas, muitos que arriscaram nas "águas turbulentas" da Covid ou foram pegos em fase de ganho de tração não conseguiram resistir à crise.

 



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 
capp.png
capp.png
capp.png

.

.