.

.

Transformadores

.

Post 19

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou formada em Serviço Social e estou trabalhando como Auxiliar Administrativo. Minha trajetória profissional se inicia aos 16 anos de idade, em decorrência de ser nascida de uma família humilde, senti a necessidade de ingressar no mercado de trabalho cedo como forma de adquirir uma renda. Desta forma comecei a trabalhar como atendente em uma rede de restaurantes, permanecendo por um ano.  Neste período estava cursando ensino médio e arrumei estágio no setor público na Secretaria do Verde e Meio Ambiente, ficando  por um ano. Após concluir o ensino médio, arrumei trabalho em supermercado como operadora de caixa, e neste período ingressei curso universitário de Serviço Social. Em seguida trabalhei como operadora de telemarketing em uma empresa call center, local que fiquei por um ano. No quarto semestre do curso consegui estágio não remunerado na Secretaria de Saúde Caism Philippe Pinel, atuando no ambulatório de crianças e adolescentes com autismo. Posteriormente consegui estágio remunerado na Secretaria da Administração Penitenciária, onde fiquei um ano atuando no atendimento social a pessoas com liberdade provisória vinda da audiência custódia. Após a conclusão do curso encontrei dificuldades para ingressar na área do Serviço social se tornando sentimento de frustração, permanecendo até o presente momento. Sendo um campo fechado para entrar pelo fato de organizações exigirem experiência e indicação. Desta forma, para manter mantém subsistência retornei ao telemarketing, local que fiquei por um ano. Em seguida, através do Transempregos consegui me candidatar a vaga de auxiliar administrativo em uma fundação em diagnóstico de imagem, local onde estou até o presente momento. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? Minha maior conquista, certamente é o respeito e carinho de meus alunos por mim. Nunca Acredito que monstra para as empresas que somos iguais a todos profissionais, nossa condição de gênero não interfere em nada. Neste emprego que me encontrou sempre recebo elogios dos meus superiores reconhecido meu potencial meu trabalho minha proatividade. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Não tive dificuldades para ingressar no mercado de trabalho a partir do momento que retifique meus documentos para nome feminino e gênero, no âmbito cível que sou reconhecida como mulher cisgênero perante o reconhecimento legal. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Vivemos em uma sociedade dominante cheia de preconceito e discriminação mas precisamos buscar nossa auto afirmação para conquistar nossos espaços e mostrar para essa sociedade conversadora que somos iguais possuindo capacidade que qualquer pessoa cisgênero. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Uma pessoa transgênero sofre vários tipos de violências em várias instituições sociais seja a família, trabalho, instituições religiosas. Desta forma o sofrimento deve ser um impulso para buscar forças através do amor e da fé para superar qualquer forma de preconceito e discriminação FACEBOOK



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.