.

.

Transformadores

.

Post 58

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Sou Formada Cirurgiã Dentista / Técnica em Eletrônica – atualmente sou musicista free-lancer.  Tenho basicamente 4 fases na minha trajetória profissional, sempre me apresentando de forma masculina: 1. (aprox 10 anos) – iniciei como Técnico em Eletrônica trabalhando em grandes empresas multinacionais; fiz treinamento nos EUA; morei 1 ano lá. 2. (aprox 12 anos) – migrei para a área de consultoria comercial/análise de riscos/projetos/planejamento/implantação em sistemas de segurança; experiência também como administrador do negócio; trabalhei voluntariamente como diretor de uma associação de empresas. 3. (aprox 10 anos) clínica geral odontológica em consultórios associados para atendimento particular e/ou convênios. 4. (aprox 18 anos) – atualmente trabalho como musicista profissional acompanhando/gravando com artistas ou com formação própria. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? Aos meus 58 anos, tudo o que consegui, bem como a carreira que construí, foi na identidade masculina. Meu desafio é justamente trabalhar em ambiente corporativo exercendo minha identidade feminina. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Aprimorar-se nos estudos; comprometer-se com os objetivos do empregador ou negócio próprio; poupar e investir o que ganha para ter estabilidade financeira. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Nunca desista de seus sonhos..somos capazes de td..e tem não deixar que outras pessoas falem por vc..somos capazes. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Respeitem a identidade de gênero, a expressão e orientação sexual das pessoas! Isso não influe no caráter ou talento delas. Parem de fazer chacota e tenham a coragem de ensinar aqueles ao seu redor a combater o ódio e a discriminação. FACEBOOK LINKEDIN



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.