.

.

Transformadores

.

Post 63

.

.

Postado:

Fonte:

05/08/22

Somos Diversidade

.

Atualmente Produtora Cultural, Performer, Designer Gráfico. Iniciei aos 16 anos como Jovem aprendiz de Designer Gráfico e paralelamente na Dança. Após iniciar o processo de transição não consegui trabalho com área gráfica e acabei focando mais na área artística participando de editais e produzindo eventos autônomos. Devido visibilidade passei a atuar também como articuladora do Programa DST / AIDS no Município de São Paulo.. Quais as maiores conquistas e os maiores desafios em sua vida/carreira? Acredito que viver da arte e não precisar estar na prostituição seja minha maior conquista e não vejo como privilégio já que o mínimo que todes devem ter é escolha com o que deve seguir e viver e não ser empurrado pra uma única opção. Ser uma pessoa trans foi dificultador ou não teve importância nesta sua trajetória? Sinto que as pessoas só buscam pra falar sobre ser uma pessoa trans e não pela qualidade de trabalho que posso oferecer. Então mais uma vez o fato de ser T pesa mais, apenas consigo jobs voltado pra pessoas T em grande parte por que o mercado é excludente. Para as pessoas e profissionais trans, que recado você deixaria? Não temos nada a perder e muitas vezes damos mais valor no que temos então não desista mesmo que as opções sejam difíceis. Para a sociedade, qual recado você deixaria? Que cada vez mais, haja mudança na sociedade, que as mentes se abram pra nos acolher e que Vocês são hipócritas, nos fazem nos sentir mal pelo que somos, nos excluem de tudo! Consomem nossos corpos e negam nossa existência porém vão ter de aprender a nos engolir por que estamos cada vez mais conquistando espaço seja como funcionária, namorada dos seus filhos, sua chefe, na mesma sala de aula que vocês! INSTAGRAM FACEBOOK https://www.instagram.com/p/B29Y4Iune2y/?igshid=1g2yftyuni640



Compartilhar esta página
 

  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn


Conteúdo relacionado
 

.

.